segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Distorções

Na matéria do dia 19 de novembro na Veja On-line o titulo diz “Drogas: o perigo ronda as escolas”. Já de antemão aviso que isso é uma mentira desavergonhada em demasia.

A droga não é, e nunca será, perigo algum. Como algo que não pensa pode representar perigo a alguém? Melhor. Como culpar as colheres pela obesidade?

Não sei se por burrice ou por desonestidade intelectual, mas as pessoas tendem a transferir a responsabilidade do sujeito para o objeto – se não sempre, diria que na maioria das vezes. Por querer ou não, isso é de fato o paroxismo da nescidade.

Quando se põe a droga como perigo, torna-se o usuário inocente do mal que ele causa para si próprio e para a sociedade, quando não, nos piores casos, se faz dele vítima da droga – o que é uma estupidez abissal.

A questão, a qual quero apontar, é a de que o perigo que ronda as escolas é o próprio aluno, com sua mentalidade imbecil de ovacionar o uso das drogas e aqueles que uso delas fazem, não por ser aluno, mas por ser adolescente. O jovem de hoje, em sua maioria, é um ser carente de moralidade, que se espelha nos exemplos mais pútridos que encontra por ai, comumente, na mídia.

Ainda na matéria, diz que professores farão cursos, à distância, para que possam lidar com o assunto. Farão eles, os professores, palestras? O que dirão nelas? Que as drogas fazem mal? Ora, mas qualquer um, hodierno, sabe que bem verdade isso é. Como se não bastasse a sandice, muito em moda por vir do MEC, de fazer um curso à distância.

De que adianta falar dos malefícios das drogas quando, na contracorrente, os garotos que mais possuem acesso às garotas são os viciados, bandidos, pois são bem vistos em função do uso das drogas? E que quem não as usa, e faz discurso contra elas, é visto como reacionário, “careta”, enfim, é vituperado com os insultos mais baixos? A verdade é que querem fazer frontispício para gringo.

Em suma, a responsabilidade pelo uso de droga é tão-somente de quem a compra e usa, não transfiram, se querem ser respeitados como seres racionais, a responsabilidade do caos que a compra e venda das drogas trazem, para a sociedade, para a existência da droga; não tentem ludibriar os mais esclarecidos com cursos de araque que enganam apenas estrangeiros ludibriados com a alegria fruto da ignorância característica de nosso povo; e não cogitem, por mínimo que seja, que discursos de consciência conscientizarão a massa néscia que é formada pela patuléia que são nossos jovens.


3 comentários:

Maringa disse...

Muito bom post. A juventude está contaminada por essa ideia de liberdade desmedida e sem limites. Ficam repetindo por aí algumas frases estúpidas de músicas, como por exemplo "meu heróis morreram de overdose". Consideram isso um mérito. Pois eu digo: morrer de overdose é uma tragédia a qual pessoas fracas e de mente vazia estão sujeitas. Acontece que a maioria dos jovens não pensam como nós. Vêem heroísmo onde há fraqueza de caráter.

A droga não destrói ninguém, as pessoas que usam drogas SE destróem. Seria o mesmo dizer que armas matam pessoas. Armas NÃO MATAM pessoas, pessoas MATAM pessoas, armas são meros instrumentos. As pessoas fazem as merdas e depois se vitimizam.

Todo mundo sabe que drogas fazem mal, essas campanhas de 'conscientização' são ridículas. O que nós precisamos combater na verdade é a mentalidade excessivamente libertária e autodestrutiva dos jovens. Eles sabem que drogas fazem mal, mas continuam achando que bom mesmo é morrer cedo. Esse pensamento equivocado é que deve ser o alvo do governo.

Lobo Sagrado disse...

Isso me lembra uma frase que eu adoro: "Armas não matam pessoas. Pessoas matam pessoas."

Mas também não podemos ignorar que depois de viciada, a pessoa perde o controle de seus atos. Dentro deste contexto, eu concordo com você sobre a pessoa estar procurando se exibir, mas tem caso que a pessoa foi praticamente induzida a experimentar e depois tornou-se viciada. e vício é doença, não tem como a gente querer botar na cadeia alguém por usar drogas.

Moro no interior e aqui tem essa merda de crack. Vi gente que tinha casa, família e emprego numa situação degradante, pedindo dinheiro emprestado, falando que é pra comprar gás e não sei o que. Você vê o desespero da pessoa, que até chora. fala a verdade, ficar um dia sem gás mata alguém? O negócio é a pedra, o vício que detona.

de todas as drogas, o pior é o álcool, pois além, de tudo, é divulgado em todos os meios de comunicação. Músicas do tipo "bebo pra carai" e "passei dia inteirim bebim" são merdas que fazem apologia, pois mostram isso como engraçado e socialmente aceitável.

Não se pode falar em fumar maconha, mas pode falar em beber. Nossa seleção é patrocinada por empresa de cerveja. Isso é uma vergonha e falta de ética profissional.

Infelizmente, a indústria do vício nunca vai acabar. Não é de hoje que marginais lucram com o vício dos outros, pela História afora sê vê. Tem até casos na Antiguidade de viciados em certos tipos de ervas e casos de alcolismo. No Gênesis, você vai ver a passagem onde Noé bebeu vinho e deu vexame na frente dos filhos.

Lobo Sagrado disse...

"A droga não destrói ninguém, as pessoas que usam drogas SE destróem. Seria o mesmo dizer que armas matam pessoas. Armas NÃO MATAM pessoas, pessoas MATAM pessoas, armas são meros instrumentos. As pessoas fazem as merdas e depois se vitimizam."


Postei primeiro e só depois eu li o comentário do Maringa.

Abraço.