terça-feira, 27 de outubro de 2009

Dos Defensores das “Sinceras”

Se toda mulher é vadia, não sei. Mas sei que, não é porque um criminoso assume a culpa pelo crime que o mesmo merece ser aplaudido. Um político não merece ouvir “obrigado” por ter cumprido com sua obrigação.

Já é um vício, quase um jargão, usar “vadia” para se referir à mulher. Mas, como sabemos, não é para elogiar ela, mas sim para enaltecer o caráter dela. Nenhum homem honrado aceita namorar uma vadia e muitos por aí (por que não dizer todos?) criticam mulheres que se comportam de maneira devassa.

Tenho percebido, porém, que muitos passam a elogiar vadias (alguns fazem até panegírico) quando estas se assumem vadias. Isso é um erro. A vadia é responsável pela degradação moral da sociedade e se ela assume isso, não significa que ela seja “melhor” em relação as que não se assumem. Na há efeito positivo como conseqüência duma vadia. Quando uma vadia assume sua imoralidade, significa que ela está querendo transgredir as convenções mais ainda, pois a vadia segue uma linha em que se tenta superar a luxúria de hoje, amanhã e assim por diante. Quando ela se encontra, aos olhos dela, no paroxismo da devassidão, ela passa a assumir o caráter pernicioso dela, não como forma de não ser hipócrita, mas como se mostrar mais lúbrica ainda. A vadia nada quer senão causar a balburdia, o desconforto.

Tendo em vista tudo que fora dito por mim, cabe agora falar sobre aqueles que defendem a postura “sincera” de uma mulher vadia e ainda elogiam-na por isso.

Um homem que defende uma vadia, é um homem que corrobora para que o comportamento lascivo dela se perpetue, por ela mesma e pelas gerações. É risível ver homens que se dizem “machistas” defenderem e elogiarem a concupiscência declarada. É dizer que aquele que comete crimes e que os assume, não deve ser considerado criminoso, ou que deva receber uma pena mais branda que um que nega apesar das evidências.

Há vadias lá fora que desdenham do esforço em prol da moralidade, fazem troça e julgam os apologistas da moral frustrados, envaidecidos, arrogantes e hipócritas. Muitas delas nem estudaram nada e querem fazer julgamentos. A verdade é que não passa de um ardil para fisgar os mais, intelectualmente - se assim posso dizer –, fracos e os levar para o lado delas. Estes mesmos, apesar de serem ofendidos por vadias, as defendem quando elas são “sinceras”. Estes mesmos, pusilânimes, destratam aquelas que, seja vadia ou não, mostra estar ao lado deles. Isso só revela volatilidade de caráter e paranóia. Deveriam olhar mais às mulheres que estão ao nosso lado, e pararem de agir como se fossem animais irracionais, ou como máquinas programadas para repetirem um comando sem parar. Se quisermos restabelecer a ordem, mesmo que isso seja utópico, da sociedade, então devemos ser mais receptivos com aqueles que estão, ou que parecem estar ao nosso lado.

Atitude vexatória defender uma vadia que se assume vadia; mais ainda vergonhoso é destratar uma mulher que o defende.
A estes o meu respeito é indigno.

1 comentários:

Maringa disse...

Dessa vez eu concordo em partes com vc. Infelizmente putaria não é crime, portanto não é a mesma coisa um bandido assumir culpa e uma safada se assumir. Sou da opinão que deveria sim ter uma lei do tipo, mas por se tratar de algo tão subjetivo, acredito que isso nunca vá acontecer.

Tem muitos caras por aí que defendem as vadias. Eles fazem isso por pensarem que dessa forma vão conseguir alguma migalha de sexo ou atenção. Geralmente são jovens metidos a libertários e revolucionários que resolvem defender indiscriminadamente mulheres sem moral nenhuma, porque eles mesmos se julgam contra a moral. As pessoas no geral, hoje em dia, riem da cara de quem defende a "moral e os bons costumes" - eu lamento muito isso.

Num texto meu eu disse que achei legal a postura de uma safada que eu saí porque ela se assumia. Na verdade disse isso porque eu acredito que vadias são muito úteis pra nós homens. Descarregar o stress, conseguir sexo fácil e tudo mais. Meu problema são com as garotas que dizem ser anti-vadias mas dão pra todo mundo nas baladas da vida. São contra as putas, mas são putas e não se assumem como tal. É aí que entra minha crítica. As safadas assumidas sempre existiram e já fizeram a alegria de muitos homens. Existiam aliás numa época onde a moral era levada a sério. Mas essas enrustidas só trouxeram mentiras e sofrimento. De qualquer forma, excelente texto.

Ps.: Você é o Lucas?