quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Nota sobre a "solidariedade" feminina


Dizem que não há solidariedade entre os homens, que somente as mulheres é que defendem umas as outras. Não! A verdade é que, homens que não defendem outros homens, quando uma injustiça é cometida, é porque esses homens são cafajestes – não há o que falar mais. E as mulheres não são solidárias como fazem parecer ser, mas sim egocêntricas – não é novidade.

Se por um lado, quando um homem é traído, por exemplo, outros homens tiram sarro dele, fazem piadas e mais piadas da situação dele. Do outro, as mulheres defendem a amiga com unhas e dentes, e imprecam e execram o homem que a traiu – isso se não foi uma delas (amigas) que compactuou com a traição, mas esse não é o caso que quero tratar aqui.

A questão é que é muita ingenuidade achar que mulheres são solidárias umas com as outras. Elas defendem, quando defendem, a imagem delas próprias, e não a imagem da outra.

Se você diz “toda mulher é vadia”, elas dizem “não generalize”, “tem exceção”, porque elas querem se por fora do julgamento, porque elas se julgam essas exceções. É um querer se abstrair sociologicamente, para que fiquem isentas de possíveis responsabildiades. O mesmo não acontece quando se diz “toda mulher merece respeito”, elas apenas afirmam isso – mas não há exceções em tudo?

Ao "ajudarem" umas as outras, ao isentarem umas as outras de culpa, elas estão favorecendo a própria imagem delas. É, na verdade, uma "boa ação" baseada em uma projeção que elas fazem da própria imagem. Elas são corporativistas por puro egocentrismo, porque querem manter a imagem dócil e pura delas, pois, em realidade, elas não se importam umas com as outras.

Portanto, há solidariedade entre homens sim, e é real e não egocêntrica, ao passo que solidariedade feminina não passa de salvaguarda da imagem delas. As mulheres, pois, vivem de imagem e de palavras, todo mundo confia no que elas dizem, então é muito custoso para elas com que o único trunfo que elas possuem esteja em risco de ser descreditado.

Mas já sabemos, não se deve confiar no que uma mulher diz, e sim ficar atento ao que ela faz. Contudo, para não ofendê-las, sem necessidade, finjamos, homens (e mulheres também), que nossa confiança elas a tem – entra em um ouvindo, sai pelo outro.

2 comentários:

Maringa disse...

Excelente texto! Eu também escrevo algumas coisas acerca do assunto vez ou outra. Talvez você não conheça, mas existem alguns blogs irmãos que exploram esse assunto muito bem também. No meu blog há uma lista chamada "Orgulho Masculino" onde eu indico os principais blogs masculinos que debatem justamente isso, esses comportamentos femininos e como nós homens podemos agir diante deles. Percebi que você tem um pensamento bem parecido com o nosso (eu sou parceiro deles). Junte-se a nós, você tem ótimos argumentos. Fico feliz de econtrar blogs como o seu por aí.

V for Vendetta disse...

Muito bom, ótima análise!